O documentário "Doze meses de resistência: A terra como horizonte de vida" será lançado oficialmente neste sábado, dia 08/07, às 18h, no Acampamento Maria Rosa Do Contestado (MST), em Castro.

Mídias populares

Apresentação

Criado pelo Núcleo de Estudos da Violência Contra a Mulher (Nevicom) o projeto Sermais oferece reuniões de apoio ao agressores. Os homens que frequentam o grupo foram sentenciados pela Lei Maria da Penha e cumprem pena restritiva de direitos, que consiste em frequentar semanalmente o grupo pelo período do de quatro meses.

Funcionando desde janeiro de 2013, o projeto ainda conta com o apoio de acadêmicos de Direito, Serviço Social e estagiários de psicologia. Temas como gênero, alienação parental, família e saúde masculina também são trabalhados com os autores da violência.

Segundo a coordenadora do Nevicom, Luana Billerbeck o Sermais explora o foco da violência. “Buscamos trabalhar as questões culturais. Explicar para o agressor de onde a violência parte, além de fornecer mais conhecimento sobre a Lei Maria da Penha”, diz. Billerbeck ainda afirma que o projeto oferece apoio as vitimas. “Estamos em uma próxima etapa de acompanhamento com as mulheres que sofreram violência. Buscamos trabalhar o comportamento delas”.

A acadêmica de Direito, Eduarda Ferreira trabalhou no projeto em 2011 e afirma que a experiência ajudou a conhecer o cenário na violência em Ponta Grossa. “Não vemos muitos dados sobre essa violência e com o projeto entendemos um pouco mais deste processo. As palestras que realizávamos ajudava um número alto de mulheres”, explica. 

Bloco anterior: Ponta Grossa registra por ano 3.000 ocorrências que envolvem violência contra mulheres

Próximo bloco: ‘Violência contra mulher ocorre em todas as regiões da cidade, todas as classes sociais’