O documentário "Doze meses de resistência: A terra como horizonte de vida" será lançado oficialmente neste sábado, dia 08/07, às 18h, no Acampamento Maria Rosa Do Contestado (MST), em Castro.

Mídias populares

Apresentação

O Secretário de Agricultura, Fernando de Paula, afirma que a Feirinha do São José perdeu o seu valor histórico, e que sua existência já não tem mais razão de ser.

Para ele, o que antes era um ponto de venda para os agricultores locais, virou um centro comercial, e a prefeitura paga os gastos de luz e água para comerciantes privilegiados.

A saída dada pela Secretaria foi que os feirantes comprassem o espaço onde está localizada a feira. Porém, o terreno está avaliado em 500 mil reais, valor impossível de ser arrecadado pelos treze comerciantes, o que torna a retirada desses trabalhadores inevitável.

O espaço seria utilizado para a construção de um Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei). O prédio onde funciona o Cmei do bairro é alugado. “Nós queremos fazer um Cmei próprio, dar um espaço melhor para as crianças do bairro”, afirma Fernando de Paula.

Segundo a Secretaria de Agricultura, a retirada da feira é uma questão de justiça social. “Mesmo que nós não fossemos fazer o Cmei, não é justo para com o contribuinte pontagrossense, que paga seu IPTU com dificuldade, pagar também luz e água para alguns comerciantes”, defende o Secretário.

Ouça a explicação do secretário da agricultura, Fernando de Paula, sobre a posição da prefeitura

{audio}http://www.portalcomunitario.jor.br/images/audio/2010/Feirinha_Secretario.mp3{/audio}


Feirantes ainda não sabem para onde ir
Frequentadores lamentam o fechamento da feirinha

EDITORIAL: Local de valor histórico e cultural
“Feirinha do São José” deve parar de funcionar