O documentário "Doze meses de resistência: A terra como horizonte de vida" será lançado oficialmente neste sábado, dia 08/07, às 18h, no Acampamento Maria Rosa Do Contestado (MST), em Castro.

Mídias populares

Apresentação

Na Feirinha do São José os comerciantes vendem uma variedade de coisas. Além de produtos artesanais, há  também cereais, chás, doces, pastéis, bolos e até o serviço de restaurante, para aqueles que buscam uma alternativa barata de almoço.

13 pessoas tiram seu sustento do trabalho no local e, agora, terão que procurar outro jeito de obter renda. Algumas delas estão há bastante tempo no local.
É o caso de Vera Lucia Haasguilowski, comerciante da Feirinha do São José há 33 anos. Dona Vera vende legumes, frutas e verduras e conta que ela, assim como outros feirantes, ainda não sabem para onde ir.

“É triste ter que sair daqui depois de tanto tempo de trabalho. Meus fregueses me conhecem e também estão indignados. Alguns já viraram grandes amigos. É triste perder isso”, conta.

Assim como Dona Vera, Analice Del Santo também construiu uma história na Feirinha do São José. Está  há 22 anos como comerciante e acompanhou todas as mudanças na estrutura do local.

Dona Analice não sabe o que fazer depois de dezembro. “Meu trabalho é minha fonte de renda. Só Deus sabe para onde vou depois que sair daqui... Acho que vou ter que voltar para a casa, não há alternativa melhor”, afirma.

Analice Del Santo, comerciante na Feirinha há 22 anos, fala sobre a falta de alternativas. Clique para ouvir

{audio}http://www.portalcomunitario.jor.br/images/audio/2010/Feirinha_Analice.mp3{/audio}

EDITORIAL: Local de valor histórico e cultural
Para Secretário, retirada da feirinha é questão de justiça social
Frequentadores lamentam o fechamento da feirinha
“Feirinha do São José” deve parar de funcionar