Imprimir

Unidade está em funcionamento desde agosto. Moradores reclamam da demora no atendimento. Foto: Matheus DiasA Unidade Básica de Saúde Dr. José Carlos de Araújo voltou a atender, desde agosto de 2015, em sua sede original. No entanto, os moradores do bairro Cará-Cará e do Núcleo Santa Bárbara estão insatisfeitos pois são realizadas, diariamente, apenas doze consultas, que devem ser agendadas com antecedência.

 

A unidade conta com uma equipe de atenção básica à saúde, que trabalha de acordo com o Programa Saúde da Família. O programa disponibiliza um médico, um enfermeiro e um técnico da área da saúde, bem como um grupo que varia de três a cinco agentes comunitárias.

O período de maiores filas para atendimento é das dez da manhã até a hora do almoço. Nas tardes de sexta-feira, não se realizam consultas.

Para os moradores, a demora é causada pela equipe reduzida que atende à população. A moradora Iraci Carneiro, aposentada, tem problemas de pressão e diz que já precisou dos serviços médicos do posto. “A gente é bem atendido lá. Pena que demora, porque tem um médico só para atender todo mundo”, afirma.

Outra moradora do bairro, Ana Cláudia Morais, conta que já levou, à unidade, o filho com febre. Na ocasião, ele ficou sem atendimento, pois a agenda do médico estava cheia. “Eu levei lá e a moça disse que não tinha consulta, disse para fazer uma compressa fria no menino”, relata Ana Cláudia.

O posto de saúde estava funcionando, até agosto passado, no Centro do Idoso. Desde. então, a atividade foi normalizada. Apenas a distribuição de remédios ainda é realizada no Centro de Idoso, onde também acontece o Clube de Mães e atividades para a terceira idade.

“Não vai ter mais médicos”

A unidade de saúde pertence à região sanitária de Oficinas. Para a coordenador, Regina Aparecida Rodrigues, a demora no atendimento se deve ao fato de a nova unidade de saúde ser muito recente. Assim, os grupos comunitários de monitoramento de saúde ainda não foram formados.

Esses grupos são compostos por pessoas com propensão para algumas doenças. Esses pacientes têm o acompanhamento mensal de enfermeiros e agentes comunitários. Apenas o grupo para hipertensos já está em funcionamento. Quando os demais forem estabelecidos, segundo a coordenadora, as filas diminuirão.

Segundo Regina, a região atendida pelo posto de saúde do Cará-Cará possui cerca de 5 mil pessoas. Esse número é considerado compatível para a capacidade de atendimento de apenas uma equipe Saúde da Família. Sendo assim, não serão direcionados mais profissionais à Unidade. Ela reitera que a solução é, de fato, montar os grupos de acompanhamento.

Arquivo comunitário:
03/09/2015 - Após negociação com moradores, CPS asfalta trechos de ruas do Cará-Cará
12/08/2015 - Após mais um atraso, posto de saúde do Cará-Cará deve ser reinaugurado essa semana

Categoria: Cará-Cará
Acessos: 1049