altBrinquedos singelos, guloseimas, cachorro quente, bolo de chocolate, refrigerante, brincadeiras e um pouco de atenção.
Coisas que podem parecer simples, mas que fizeram a diferença no dia de comemorações das 63 crianças que participam da ONG Reviver.
Através da doação de empresas e parceiros, o grupo pode fazer para as crianças um dia todo especial, pensado só para elas. A recompensa veio com os sorrisos e  a sensação de que o trabalho está sendo cumprido.


Na última sexta feira, foi comemorado o dia das crianças no Grupo Reviver. Através da doação de empresas, parceiros e amigos da ONG, as 63 crianças que são atendidas pelo projeto Roda Peão receberam uma alimentação especial, brinquedos, doces e guloseimas, além de recreação durante toda a tarde. O projeto  oferece atividades no contra turno escolar para os filhos dos usuários e também as crianças da comunidade.

Segundo a coordenadora pedagógica, Maria de Aparecida Almeida (foto), o dia foi todo pensado e planejado para dar às crianças um momento especial. “Eu liguei para a escola de cada uma para pedir que liberassem as crianças para passar o dia todo no Grupo”.

E completa:  “Se não fosse o Reviver e as doações, acredito que o dia das crianças seria bem triste. Muitos pais não têm nem condições de oferecer a atenção e o carinho necessário, quem dirá um mimo como doces e brinquedo”.

Para retribuir o carinho e os presentes, as crianças prepararam várias apresentações com o tema primavera. Poemas, músicas, danças e teatros, tudo para revelar o lado artista de cada um e, ao mesmo tempo, falar sobre a importância de preservar a natureza.
Ronaldo Silva (foto), professor voluntário de música, diz que a sensação que tem ao ver seus alunos no palco, felizes e cada vez mais íntimos com os instrumentos e a musicalização, é a de trabalho cumprido.

“Tem gente que não acredita no trabalho de ONG’s, não acreditam que é possível mudar alguma coisa trabalhando com as crianças carentes.  Nós, que trabalhamos aqui, temos a obrigação de mostrar que isso é possível”, explica Ronaldo

Maria Colasso, que tem três filhos participando do Grupo, sabe bem como essas doações e a atenção especial faz a diferença na vida dos pequenos. “Fico muito feliz em saber que existem pessoas dispostas a ajudar. Não tenho condições de comprar presente para os três. Se não fosse o Reviver, eles passariam o dia das crianças em branco.” 

Sua filha Ângela completa: “estava ansiosa esperando, adorei os presentes, as brincadeiras, a comida, tudo!”, afirma a sorridente garota de 10 anos, com seu pacote de doces e sua bola nova nas mãos.

A professora Carla Teleginski conhece bem as crianças e afirma: “Não precisa de muito para deixa-las feliz. É gratificante ver os olhinhos delas brilhando de alegria, afinal o que pode parecer pouco para outras pessoas é muito para elas.

alt alt