altO Grupo Reviver de apoio a portadores de HIV dedicou um dia especial às mulheres. As frequentadoras foram contempladas com maquiagem, manicure e penteados. Aproveitando a ocasião, o técnico de prevenção, Hebert Adolf Molkenthin falou à reportagem do Portal Comunitário sobre as atividades para 2009, como o Programa Cravo e a Rosa (destinado à prevenção de DST´s entre heterossexuais), o Grupo de Artesanato e o projeto Roda Pião.
 


No último dia 8 foi comemorado o dia Internacional da Mulher. Para homenagear as frequentadoras, na segunda-feira, 9, a Associação Reviver de Assistência ao Portador do Vírus HIV promoveu um dia inteiro de atividades.

Elas aproveitaram desde o atendimento estético como massagem, maquiagem, manicure e penteado, até sorteio de brindes. Animada com tantos paparicos V.R., de 32 anos, mãe de seis filhos e que já é avó, conta que esse dia é um momento em que as mulheres do grupo ficam ainda mais unidas.

“O dia da mulher é todo dia”. Sorridente, diz que muitas mulheres diante da correria do dia a dia às vezes nem arrumam os cabelos e, neste dia, recebem um cuidado especial e se sentem mais femininas.
Programação para 2009.


A ONG, que fará 14 anos em 2009, realiza diversos trabalhos com os soropositivos da sociedade ponta-grossense. Entre os programas, está o apoio à família, apoio espiritual e religioso, projetos de prevenção, de aceitação e incentivo ao tratamento.

A instituição ainda conta com uma creche que, além de cuidar dos bebês de mães frequentadoras, auxilia no tratamento de negativação dos recém-nascidos.

“Aqui eles tomam remédio na hora certa, alimentação adequada e higiene, coisas que em casa talvez não fosse possível”, afirma o técnico de prevenção, Hebert Adolf Molkenthin.

Outros programas previstos para esse ano são a continuidade do Projeto Cravo e a Rosa, que busca orientar os heterossexuais em relação a Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST’s), com a distribuição de preservativos a caminhoneiros e a prevenção na terceira idade.

O programa Roda Pião, que prevê atendimento social e pedagógico em contra-turno escolar para crianças soropositivas e filhos de soropositivos, oferece refeições e atividades recreativas e educativas, como música e teatro, além de orientação sobre higiene.  E o grupo de artesanato, que irá iniciar,  até o final do mês, um curso de costura para que as participantes produzam enxovais.