Representantes do movimento estudantil da UEPG irão debater sobre ensino superior, política nacional e outros temas em conselho da UNE no Recife. DCE busca apoio de reitoria para transporte

O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UEPG está mobilizando os Diretórios Acadêmicos (DA's) e Centros Acadêmicos (CA's) da universidade para o envio de delegados de cada entidade para o Conselho Nacional de Entidades de Base (CONEB), organizado pela União Nacional dos Estudantes (UNE).

O evento será realizado na sede da Universidade Federal do Pernambuco (UFPE), em Recife, entre os dias 18 a 21 de janeiro de 2013. Esta é a 14ª edição do conselho, que reúne representantes discentes do país inteiro para debater sobre o ensino superior, militância estudantil e política nacional.

Para o transporte dos delegados representantes das entidades para Recife, o DCE está buscando, junto à reitoria da Universidade, um ônibus. “Estamos esperando uma resposta”, aponta Leonardo Godoy, estudante de Biologia, membro do DAED (Diretório Acadêmico Erasmus Darwin) e coordenador geral da gestão 2012/2013 do DCE.

A expectativa é de que 10 entidades de base da UEPG enviem seus delegados, segundo o estudante. Já a UNE espera reunir 3 mil centros acadêmicos e mais de 5 mil pessoas no evento, como aponta Patrique Lima, diretor da entidade. “As entidades de base são fundamentais para a vitalidade do movimento estudantil”, afirma.

Para Lima, é um espaço de debate sobre os rumos que o Movimento Estudantil vai tomar. “Para a União Nacional dos Estudantes, é fundamental para dar a justa medida para nossas pautas e lutas”. Porém, Godoy tece algumas críticas ao encontro. “Não tem muita discussão política, é tudo atropelado”. Segundo o coordenador, existem boicotes aos debates na entidade.

Alexandre Innani Justus irá representar o Centro Acadêmico Carvalho Santos (CACS) de Dirito da UEPG. Para ele, a postura oposicionista pode atrapalhar a participação dos representantes locais no debate. “Na prática, está privilegiando a ida dos CA's com esta mesma perspectiva de oposição, é um auxílio com a intenção de aparelhamento”, analisa.

Ele afirma ainda que é favorável ao empenho do DCE para buscar meios de levar os delegados das entidades. “É obrigação do Diretório Central dos Estudantes estar articulando a ida dos CA's e DA's de sua universidade nesses espaços de debate, mesmo que os posicionamentos políticos da entidade de base tenham divergência com o posicionamento do DCE”.