Imprimir

A obra deveria ter sido entregue na metade do ano de 2016.

Água parada e mato alto preocupam moradores
Água parada e mato alto preocupam moradores
As obras precisam de poucos detalhes para serem concluídas
As obras precisam de poucos detalhes para serem concluídas
O mato já encobre a passarela de acesso a quadra
O mato já encobre a passarela de acesso a quadra
Previous Next Play Pause
1 2 3

Mato alto, água parada e muito lixo, isso é o que podemos encontrar ao ver o campo de futebol society do Núcleo Rio Verde. Com as obras paradas desde o meio do ano passado, o local começa a sofrer degradação com a ação de vândalos e do tempo. Um lugar que seria destinado ao lazer, virou dor de cabeça para os moradores.

A verba destinada para a construção de espaço veio do governo federal. A licitação para a construção foi aberta em janeiro do ano passado e o prazo limite de conclusão era julho de 2016. Todavia, as obras pararam no mês de outubro e ainda não foram retomadas.

Vizinho do espaço, Elton Moreira, conta que o campo tem sido uma preocupação para eles, pois quando chove a água fica empoçada, tornando-se um criadouro para o mosquito da dengue. De acordo com Elton, o mato alto junto com o lixo, transforma-se num criadouro de ratos, cobras e baratas, que são transmissores de doenças. “Outra coisa que nos preocupa são os vândalos, que estão começando a roubar as lâmpadas do campo e agora estão começando a levar as telas”, conta.

Presidente da Associação de Moradores do Núcleo Rio Verde, Fábio Silva fala que solicitou junto à Secretaria de Meio Ambiente, a roçada para diminuir o mato em volta da quadra, mas não foi atendido. Fábio diz que as ações de limpeza têm partido de mutirões feitos por alguns moradores. “A limpeza dos lugares tem sido por nossa conta, mas como somos poucos, não conseguimos atender todas as demandas.”

Procurado por moradores de outros bairros, que passam pela  mesma situação, o vereador Paulo Balansin encaminhou um requerimento junta à Prefeitura, para cobrar esclarecimentos em relação ao abandono das obras.

“Temos que saber o que aconteceu, porque falta muito pouco para concluir os espaços. Se demorar o trabalho terá que ser recomeçado do zero”, argumenta.

Em  uma reunião com os presidentes de associação de moradores em fevereiro o presidente da Fundação de Esportes, Marco Antônio Macedo, garantiu que, a partir de março, as obras serão retomadas em todos os campos que ainda não estão prontos. Todavia, não deu um prazo para a entrega dos espaços.

Salvar

Salvar

Salvar

Categoria: Neves
Acessos: 1047