As opções de lazer ofertadas pelos bairros de Ponta Grossa são muitas vezes escassas. No Núcleo Rio Verde, a Associação de Moradores realizou nas últimas décadas um trabalho que garante à população opções variadas a preços bem acessíveis.

O exemplo se destaca na cidade, onde algumas regiões chegam a não ter sequer um campinho de futebol, restando as crianças recorrer aos espaços improvisados, onde o chinelo funciona como trave e a bola, muitas vezes, rola solta em campo de terra batida.

Embora assegurado pela Constituição Federal de 1988, o direito ao lazer passa quase que despercebido pelas autoridades municipais. Basta um breve passeio pelos bairros da cidade para que nos deparamos apenas com 'academias' voltadas à terceira idade, que na maioria das vezes estão desgastadas pela ação do tempo ou de vândalos, e uma pista de skate.

Além da ineficiência do policiamento, moradores identificam carência de planejamento na infraestrutura da região

 

 Desde dezembro, quando as casas do conjunto residencial Costa Rica foram sorteadas e os contemplados tomaram posse dos imóveis, eles começaram a enfrentar problemas nos serviços e até mesmo a inexistência deles. Entre as maiores reclamações, estão a falta de policiamento e serviços básicos, como escolas e postos de saúde, além da carência de telefones públicos, serviço de correio e poucos horários de ônibus.

Após quinze dias de atraso, teve início, nesta semana, o ano letivo na Escola Municipal Deputado Plauto Miró Guimarães, localizada no Núcleo 31 de Março. A demora foi provocada por obras de ampliação. Mesmo com o prazo prorrogado para finalização da reforma, os trabalhos não foram finalizados.

O instituto revela que a medida evitará vazios urbanos e procurará garantir segurança à comunidade. Projetos já são planejados pela Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte e pela Secretaria de Planejamento.

Ainda em 2010, o bairro Neves abrigava mais de 22 mil habitantes, segundo o Censo. Os números de conjuntos habitacionais cresceram e já somam mais de dez em toda a região. Crescerá ainda mais neste ano com a construção do Residencial Costa Rica (I, II e III).

Novas alternativas surgiram para aumentar representatividade nas vilas

Associação de Moradores não exclui necessidade de planejamento urbano em novas vilas

Editorial: Comunidade se adapta em busca de uma maior representatividade