Imprimir

O professor de Engenharia Civil da UEPG, Roque Dantas Sponholz, considera “louvável” a criação da Comissão de Trânsito pela Câmara Municipal, mas defende: “A Câmara não deve se intrometer nos problemas do trânsito. Deve deixar diretamente para a Autarquia". 

 

“Defendo uma lei de autonomia da autarquia de trânsito para que seja responsável pelo trânsito sem intermediações de terceiros”, diz Sponholz. De acordo com o professor, o incentivo ao uso do transporte coletivo por parte do governo é uma das soluções a médio prazo para a resolução do tráfego da cidade. “O trânsito atual tem um custo enorme para o munícípio, o espaço urbano deveria ser igual para todos”, ressalta Sponholz.

Os moradores de Ponta Grossa consultados para esta reportagem também apontam os problemas de trânsito na cidade. O professor Jonny Skeika, que circula de moto há quatro anos, conta que já sofreu um grave acidente no centro da cidade, causado pela má sinalização. “A má preparação dos motoristas e a falta de sinalização se somam para os acidentes de trânsito aqui”, aponta.

Já o vendedor Sérgio Juninho, que dirige há 30 anos, afirma que o trânsito em Ponta Grossa mudou muito nos últimos anos. “O problema está na falta de estrutura viária para comportar um trânsito de cidade média. O caos é visível, está cada vez mais difícil dirigir na cidade”.

Sobre a possibilidade do relatório da Comissão de Trânsito se tornar lei, o presidente da Comissão prevê certa dificuldade: “Vai ser uma briga grande do poder Executivo”.

Categoria: Notícias da Câmara
Acessos: 1609