Imprimir

Eram necessários 12 votos para o não arquivamento do caso. O resultado de 17 votos contrários, três votos favoráveis e uma abstenção demonstrou que apenas os autores do relatório final da Comissão Parlamentar Processante (CPP) defendiam o fim do processo contra Ana Maria.

 

Com 17 votos a três, os vereadores de Ponta Grossa recusaram o relatório final da Comissão Parlamentar Processante (CPP), que previa o arquivamento do processo contra a vereadora Ana Maria de Holleben (expulsa do PT). O relatório apresenta o resultado das investigações sobre o falso sequestro, anunciado pela parlamentar em 1º de janeiro deste ano.

A votação ocorreu na última segunda-feira, dia 24, em sessão extraordinária da Câmara Municipal, iniciada às 19h. Os votos favoráveis ao arquivamento do processo contra a vereadora partiram dos próprios autores do relatório final da CPP: Júlio Kuller (PSD),  Marcio Schirlo (PSB) e Rogerio Mioduski (MD).

Impedidos de votar por terem feito parte da CPI do caso Ana Maria, os vereadores George Luiz George (MD), Pietro Arnaud (PTB), Sebastião Mainardes (DEM),  Antonio Laroca (PDT) e Alyssom Zampieri (MD) foram substituídos pelos seus respectivos suplentes, convocados pela Presidência da Câmara.

Dois suplentes não compareceram: de George Luiz George, Delmar Pimentel, e de Sebastião Mainardes, Valdir Proroki.  Já o suplente de Ana Maria, José Nilson Ribeiro – Nilsão (PT), na hora do voto declarou-se “impedido de votar”.   

A decisão de continuidade do processo pode gerar a cassação do mandato de Ana Maria. Um relatório final será encaminhado para votação no Plenário.

Sessão histórica

Na área do plenário da Câmara, reservada ao público, foram retiradas as cadeiras pela direção da Casa. Manifestantes lotaram a Câmara, dentro e fora do Plenário, com cartazes sobre diversos temas de manifestação, entre eles “Fora Ana Maria”.

No início da sessão, os manifestantes cantaram o Hino Nacional de costas para os vereadores já postos às mesas no Plenário.

O vereador Antônio Aguinel (PcdoB), que votou contra o arquivamento do processo, disse que há muito a ser levado em consideração sobre o caso. “Analisando o relatório do processo, creio que Ana Maria realmente quebrou o decoro parlamentar previsto,  expondo a imagem desta Casa”. 

O vereador Pascoal Adura (PMDB), durante o pronunciamento na Tribuna da Câmara, considerou “um dia histórico para Ponta Grossa.”  No final do discurso, Pascoal enfatizou: “Nós não queremos a vereadora Ana Maria aqui. Queremos a cassação dela, já!”

Votaram contra o arquivamento do processo: Adélia Aparecida de Souza (PSD), Aliel Machado (PCdoB), Taíco Nunes (PTN), Aguinel Ferreira Batista (PCdoB), Daniel Milla (PSDB), Pastor Ezequiel (PRB), Jorge da Farmácia (PDT), Luiz Consentino (MD), Marcelo Aparecido - Careca (PT), Maurício Silva (PSB), Pascoal Adura (PMDB), Paulo Balancin (PTB), Rogério de Paula Quadros (PDT), Romualdo Camargo (PSDC), Walter José de Souza (DEM), Pastor Bertoldo (PRB) e Paulo Cenoura (PSC).

Arquivo comunitário:
24/04/2013 - Ana Maria insiste em ficar no cargo durante CPI

Categoria: Vereadores
Acessos: 1377