Imprimir

A vila Izabel surgiu sem planejamento urbano da Prefeitura. Pelo contrário, a ocupação do espaço se deu a partir de loteamento de terras particulares. Mesmo com uma série de problemas de infraestrutura, a vila conseguiu ter algumas condições de moradia, como escola, associação de moradores, campo de futebol e asfalto, tudo uma conquista dos moradores com o poder público. Apesar disso, algumas questões como arroio poluído, ponte de madeira precária e a falta de posto de saúde na vila são problemas que ainda persistem à espera de atenção do governo municipal.

Saiba mais sobre o planejamento urbano
Vila Izabel é um exemplo da falta de planejamento urbano do bairro Nova Rússia
Passagem por ponte mal construída põe em risco moradores

 

Como tantos outros espaços urbanos da cidade, sem o planejamento da Prefeitura, a Vila Izabel, no bairro Nova Rússia, nasce em 1964, através de um loteamento de terra da família Guimarães. A vila tem esse nome para homenagear a filha do dono das terras na época.

A moradora Vanda Sozcek explica como era a vila na década de 60    Moradora da vila há 34 anos, Vanda Soczek conta como era antigamente. “Antes não tinha nada aqui, nem luz, nem água encanada. Era só barro. Muitas pessoas, assim como minha família, vieram morar aqui por causa da firma Imasa, que empregou muita gente”, afirma.

Com o tempo os moradores foram ajudando a construir suas próprias casas. Um exemplo disso foi a associação de moradores conquistada em 1986, através de uma reivindicação dos moradores junto à Prefeitura.

“Em 1989 foi inaugurada a escola da vila, uma conquista da associação de moradores junto ao poder público”, destaca fundadora da associação, Adenildes Ribeiro.

Os moradores contam que muitas foram as conquistas alcançadas a partir da organização do pessoal da vila, independente da tomada de ações do governo. A vice-presidente da Associação de Moradores, Antonina Barbosa, fala do funcionamento das atividades desenvolvidas na vila. “Com o tempo nós montamos o grupo de idosos, a capoeira, futebol, para integrar o pessoal que mora aqui”, destaca.

Uma questão que ainda não foi resolvida e atinge a comunidade é o arroio poluído que atravessa a vila. Segundo o morador Augusto Kielt, não só o mau cheiro, mas a ponte de madeira precária que o atravessa são reclamações antigas.

“A ponte de concreto já foi pedida há muito tempo. Muita gente passa por lá porque ela liga partes importantes da vila, como a área residencial até quem precisa ir ao mercado, por exemplo”, finaliza. A Prefeitura foi procurada pra falar sobre o assunto mas não quis se pronunciar.

Próximo bloco: Vila Izabel é um exemplo da falta de planejamento urbano do bairro Nova Rússia

 

 

Categoria: Nova Rússia
Acessos: 2707