Todas as quintas-feiras, na Vila Isabel, acontece o almoço que reúne os moradores da comunidade. Semanalmente, há atividades como tricô e crochê para os idosos. Porém, algumas dificuldades são apontadas pelos moradores. A falta de comida para realizar esses encontros é uma delas, mas a mobilização de alguns garante a manutenção dos almoços na comunidade.

 

Quinta-feira foi dia de almoço na Associação de Moradores da Vila Isabel, uma das comunidades do bairro Nova Rússia. Segundo os moradores, toda quinta é realizada a atividade.

É um momento de descontração dos moradores, que se reúnem em um espaço de confraternização. Mas, conforme relata o morador Augusto Kielt, para que o almoço aconteça, é preciso a colaboração de todos.

“A Fundação Municipal de Promoção ao Idoso (FAPI) manda pouca comida, sempre falta, principalmente carne. Nós vendemos algumas coisas para conseguir comprar mais”, explica.

  São realizadas atividades como bingos e venda de toalhas bordadas para arrecadar dinheiro. Participam desses almoços os moradores da Vila que fazem parte da Associação de Moradores.

Não há custo algum, mas como faltam alimentos, o lucro dessas atividades é destinado à compra de comida.


Durante a reunião de quinta-feira, há outras atividades como tricô e crochê, além da música ao vivo. Segundo Zeferina Oliveira Campos, é bom sair de casa, encontrar outras pessoas e fazer outras atividades.

“Eu gosto, porque é um lugar onde a gente conversa, se distrai, então não tem como abandonar. Mas a participação está baixa”, conta.

A Associação conta com 30 inscritos, mas do almoço participaram 21. Isso porque, segundo o relato dos moradores, alguns estão doentes e sem condições de comparecer.

“Nós deveríamos receber tratamento médico toda semana, mas o médico não veio mais nos atender, então ficamos nessa situação”, afirma Augusto, há 36 anos morador da Vila.