Imprimir



 

 altO Colégio Epaminondas Novaes Ribas possui uma escolinha de futsal, ministrada pelo professor de Educação Física do Colégio. Esses treinos já revelaram talentos, como Lucas, de apenas 12 anos, que participa da Seleção Ponta-grossense Sub-13 do Portela.
 O aluno Lucas Padilha, de 12 anos, é o craque do time de futsal da escolinha que funciona no Ginásio da Palmeirinha. Apesar da pouca idade, ele já participa da Seleção Ponta-grossense Sub-13 do Centro Esportivo Portela de futebol de salão. Vindo de uma família carente, o menino recebe uma ajuda financeira dada pelo treinador do time, Cândido José de Abreu, professor de Educação Física do Colégio Epaminondas.

Lucas treina há apenas dois anos e é a maior revelação. A idéia da escolinha veio de uma já existente, que também é coordenada pelo professor Cândido.

Mas, por ser uma comunidade carente, o professor resolveu cobrar R$15,00 dos alunos que pudessem pagar e os outros seriam beneficiados.
Garoto da Palmeirinha é revelação da Seleção Ponta-grossense sub-13      

Esta é a situação de Lucas. Ele ganha todo o material e uniforme necessários, além de não pagar a mensalidade da escolinha.  A idéia de treinar veio porque o irmão jogava na Vila Isabel, e os pais incentivaram.

O que começou como brincadeira, virou coisa séria. Lucas afirma que pretende continuar no esporte. Diz que participar da seleção “foi bom”:, “é bom jogar campeonatos”. Ele afirma também que no treino tudo é uma brincadeira, mas que “na hora do jogo é coisa séria”. Ele apenas lamenta que o pai não possa assistir todos os jogos, porque trabalha.    

     
Escolinha - A escolinha de futsal, coordenada pelo professor Cândido, funciona quatro vezes por semana no ginásio que fica ao lado do Colégio. Por problemas estruturais, nem sempre é possível realizar os treinos. Um vendaval no início deste ano provocou a queda de algumas telhas do ginásio. Esse problema traz perigo para os alunos da escolinha e em dias de chuva não dá para treinar.

Para Lucas, o craque, “o ginásio não atrapalha, porque nós é que jogamos”. Mas o treinador Cândido e o diretor do Colégio, José Edílson Pereira dos Santos, afirmam: “os problemas do ginásio trazem riscos para os alunos, nós usamos enquanto podemos”.          

O número de alunos matriculados na escolinha caiu mais da metade depois do problema do ginásio. “Chegamos a ter 140 alunos. Agora temos mais ou menos 40. E a maioria são de beneficiados”, diz Cândido. O treinador explica que, quanto menos alunos pagarem, menos alunos beneficiados ele pode ter.

Categoria: Nova Rússia
Acessos: 2130