Adriana Baggio Fiuza faz parte da direção da Associação de Moradores da Palmeira, que fica no bairro Nova Rússia. De acordo com ela, existe uma pessoa que faz a limpeza do local depois dos eventos. “Alugamos o espaço da entidade para conseguirmos arrecadar dinheiro para o próprio grupo. Depois, usamos para pagar despesas, como limpeza e consertos gerais”, alega.
 
A integrante cuidou por um tempo da agenda da entidade. Segundo ela, no contrato, há horário estabelecido para a festa terminar. Adriana nega que os eventos durem até seis horas da manhã, como a moradora Maria Sakaguchi relata relatou.
 
A presidente, Laurita Hilgemberg, ocupa o cargo há pouco tempo. Ela substitui o antigo presidente porque ele é candidato a vereador em Ponta Grossa. Laurita afirma que é preciso, antes de tudo, ter um pouco de paciência com a situação. “Os jovens ficam sempre alcoolizados nas festas e acabam perturbando os vizinhos, não há muito que fazer ou como proibir”, lamenta.
 
Ela acrescenta que o dinheiro dos alugueis não vêm apenas de baladas ou festas do tipo, embora essas locações sejam a maior fonte de arrecadação para a entidade. “Também emprestamos o salão da Associação de Moradores da Palmeirinha para bazares, que ocorrem constantemente”, lembra.
 
Laurita friza que o dinheiro é importante para a sobrevivência e manutenção do salão. “Precisamos manter o salão da entidade em condições apropriadas para que os moradores possam usufruir do lugar”, argumenta.