Cratera que surgiu a 10 meses por causa das fortes chuvas no fim de 2012 segue atrapalhando o trânsito e oferecendo perigos a moradores da Vila Catarina Miró no bairro Nova Rússia. O início das obras continua adiado devido à complexidade da obra.

 

Dentre os vários problemas de pavimentação e falta de manutenção das vias públicas no bairro, o que mais se sobressai é a cratera na rua Antônio Viera, principal ligação entre o centro e o bairro. Devido ao buraco, o transito está bloqueado e os motoristas habituados a utilizar o caminho são forçados a buscar desvios alternativos ou se arriscar por uma fresta no bloqueio montado pela prefeitura.

A rua também é utilizada pelo transporte público. Devido a cratera os ônibus e carros tem de fazer um desvio de um quilometro, perdendo em média dois minutos por viagem. Segundo a assessoria da Viação Campos Gerais (VCG), o ônibus Catarina Miró-Terminal Central realiza a rota de nove quilômetros 28 vezes. Ao fim do dia o ônibus roda 28 quilômetros e 56 minutos a mais que o expediente normal.

 Não é a primeira vez que a cratera surge na rua Antônio Vieira, outras duas vezes os desabamentos causaram o mesmo problema. Segundo o Secretário Municipal de Obras Alessandro Lozza a construção é antiga e nas duas primeiras vezes foram feitos remendos na estrutura do córrego.

“Desta vez o desabamento levou toda a estrutura central do arco de sustentação, não só um pequeno pedaço como aconteceu nas outras duas vezes” explica Lozza. “Para a obra ser realizada, toda a estrutura tem de ser retirada e refeita. É uma obra complicada, mas com certeza será realizada”, completa.

 {youtube}c0eK0uWhFlo{/youtube}

 

Próximo Bloco: Metade do município de Ponta Grossa carece de revestimento asfáltico 

 

Editorial: Tão, tão distante