Imprimir
Lucinéia Lange, atendente infantil, auxilia um dos alunos durante atividade escolar

 

O Núcleo Promocional Pequeno Anjo, responsável pelo acolhimento e reintegração de crianças às famílias, realiza bazares, cafés coloniais e vendas de pastéis para garantir a qualidade dos serviços.

 

O projeto conta com verbas municipais vindas a partir da Fundação Pró-Amor e doações de voluntários, mas ainda assim a renda precisa ser completada com ações beneficentes.

O dinheiro público é utilizado para cobrir os gastos com água, luz, telefone, sistema de segurança, o pagamento de funcionários e parte dos materiais de limpeza e alimentos. Porém, a complementação da compra desses alimentos,materiais escolares e emergências médicas ficam por conta do caixa reserva, gerado por doações e atividades beneficentes.

É o que explica a Coordenadora Administrativa do Pequeno Anjo, Denise Leifeld. “Sempre pensamos a partir do orçamento mensal, mas não dá para dizer que ficamos tranquilas. Sempre temos que pensar em como garantir um caixa de reserva para cobrir gastos emergenciais”, afirma.

Pequeno Anjo busca recursos em ações beneficentes para garantir a qualidade do atendimento a crianças

 

A arrecadação em eventos organizados pela entidade rende em média um valor que garante o suprimento de um mês. Para isso, todos os meses, as responsáveis pelo Núcleo se reúnem e pensam novas atividades, a fim de garantir essa renda extra. Um novo bazar está em planejamento, mas ainda sem data e local confirmados.

A Atendente Infantil, Lucinéia Lange, é responsável por acompanhar as crianças no contra turno em atividades e cumprimento de tarefas escolares.

Lucinéia explica que neste primeiro semestre ainda há bastantes materiais escolares, recebidos na escola e a partir de uma doação de uma loja da cidade, mas que a partir do segundo semestre já faltam.

“Às vezes, acabam coisas simples, como papéis e lápis, então nós emprestamos os nossos para que eles possam fazer as tarefas de casa”, relata.

O Núcleo atende atualmente 29 crianças, e tem capacidade de 40 ao total. Uma das mães-sociais, que auxilia no cuidado de crianças recém-nascidas, diz que a entidade se tornou importante, e que existem muitas pessoas que auxiliam, mesmo que a partir das ações beneficentes.

Arquivo:

22/12/15: Pequeno Anjo e outras entidades assistenciais estão sem repasse desde outubro

21/11/15: Festa temática arrecada doações para crianças do Pequeno Anjo

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Acessos: 944