altA feira realizada todas as quartas-feiras em frente à Igreja São José, no bairro Órfans, faz parte do projeto Feira Solidária. A freqüência é de aproximadamente 4 mil pessoas toda semana.

Há três anos no mesmo local, os feirantes contam da satisfação em trabalhar na feira.
“Já temos credibilidade, tornamo-nos amigos das pessoas, isso é importante para vender melhor”, ressalta a feirante Marina Simões.

A feira em frente à Igreja São José acontece todas as quartas-feiras das 8 às 20 horas. O projeto Feira Solidária, da Pastoral do Mundo do Trabalho, existe desde 2003.

“O intuito é fazer com que a comunidade participe e exponha seus trabalhos para ter uma renda”, explica a vice-coordenadora da feira, Janete Rosa.

Estão disponíveis 15 barracas em frente à Igreja. De acordo com Janete, estima-se que 500 pessoas passem na feira antes ou depois de cada novena. Como são oito novenas na quarta-feira, a média é de 4 mil pessoas.

Há três anos sendo exposta em frente à Igreja São José, a vice-coordenadora conta que já existe uma clientela fixa que, mesmo morando em outros bairros, freqüenta a feira semanalmente.

Os produtos disponíveis na feira são variados: roupas, bijuterias, enfeites feitos de biscuit, pano de prato, chinelos e até mesmo lanches. A cozinheira Marina Simões diz que é na feira que consegue vender mais salgadinhos.

Uma de suas clientes é a advogada Cristiana Trovão. Ela ressalta que toda quarta-feira, depois da novena, passa para comprar pastéis para a família.

Panos de prato e doces são as preferências da professora Vera Martins. Ela vai à novena toda quarta-feira às 15 horas. Logo depois, passa na feira para fazer compras. “Os produtos na feira são de qualidade e saem mais em conta”, afirma Vera.
 
A vendedora aposentada Catarina Lunardelli conta da satisfação em trabalhar na feira há seis meses.Catarina é formada em Matemática e Biologia, era professora, mas se sente mais feliz em trabalhar na feira.

“Eu nem durmo direito no dia anterior ao da feira, eu adoro trabalhar aqui, é unir amizade e dinheiro”, diz Catarina. Ela vende todas as quartas-feiras produtos que fabrica a partir de materiais de biscuit e trabalha por encomenda nos outros dias da semana.