Sindicato dos técnicos e servidores da UEPG deliberam indicativo de greve e chamam nova assembleia para a próxima quarta-feira (05). Em caso de resposta positiva da cate gor ia, os servidores devem entrar em greve no dia 11 de setembr o.

 

Na assembleia do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos Estaduais de Ensino Superior de Ponta Grossa (Sintespo), na última terça-feira(28), 200 técnicos e servidores decidiram pelo indicativo de greve. Uma nova assembleia acontece na próxima quarta-feira(05) às 7:30h, em frente ao Bloco da Reitoria da UEPG, e deve d urar o dia inteiro, com a paralisação de alguns setores, como o Restaurante Universitário do campus Uvaranas. A reunião também prevê cartazes e folders explicativos e transmissão em tempo real das assembleias dos outros sindicatos que também lutam pelo reajuste salarial.


O principal motivo para a nova assembleia foi o encontro dos sindicatos de técnicos das IEES ( Instituições Estaduais de Ensino Superior) com o secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Alípio Leal, na segunda-feira (27/08). A nova proposta de reajuste salarial apresentada pelo Governo desagradou a categoria,  como explica o presidente do Sintespo, Emerson José Barbosa. “Ele já havia assumido o compromisso de olhar com carinho a nossa tabela em outubro. E de repente ele esquece tudo e diz que pagará provavelmente no primeiro trimestre de 2013”, afirma. Outro ponto que foi questionado pelos líderes sindicais é a falta de uma minuta na reunião, como foi combinado antes do encontro.

O agente de segurança interna, Francisco Cesar Bodna, acredita em uma união da categoria em caso de greve. “É uma coisa que já é do anseio do servidor. Colocando essa pauta e ela sendo definida como greve, creio sim que terá consenso e todos irão aderir”, diz. A participação dos discentes também é esp erada pela Sintespo, com o informa Barbosa. “Nós pedimos que os estudantes nos entendam nesse momento, nós não queremos a greve, mas o governo estadual esta nos empurrando para isso. Nós esperamos que os estudantes sejam solidários com os técnicos”, aponta. Segundo o coordenador do Diretório Central dos Estudantes(DCE), Joel de Oliveira, o governo esta desrespeitando a categoria. “O DCE estará ao lado dos servidores da UEPG, pois acreditamos que a qualidade da universidade pública passa pela valorização de seus colaboradores.”, destaca Oliveira.


Arquivo comunitário: Sindicato mantém estado de alerta e espera proposta do governoaltaltalt