sinespo-28-09-12

Entidades de base da Universidade Estadual de Ponta Grossa se reuniram com representantes do Sintespo para mostrar apoio às reivindicações do sindicato e propor próximos passos do movimento estudantil.

Representantes do SINTESPO estiveram na última quarta-feira (26/09) na sede do Diretório Central dos Estudantes (DCE), localizada em frente ao Campus Central da UEPG, para debater sobre o movimento grevista e o apoio dos estudantes para reivindicações do sindicato. O evento foi uma reunião periódica organizada pelas Entidades de Base da universidade, composta pelos Diretórios e Centros Acadêmicos, além do DCE.

    Durante o debate do Conselho de Entidades de Base (CEB), os integrantes da diretoria do sindicato apresentaram as propostas e o encaminhamento da conversa com o governo sobre os PCCS (Plano de Cargos, Carreiras e Salários), pedindo o apoio das lideranças estudantis na mobilização dos alunos para apoiar os técnicos. “A gente tem dificuldades de comunicação e, às vezes, não podemos amarrar (o movimento) na hora necessária, mas o importante é que está se construindo uma continuidade, para ficarmos juntos na hora que o acadêmico precisar e na hora que o técnico precisar”, aponta o diretor de segurança e saúde do trabalhador, João Maria Teixeira.

    O diretor geral do DCE, Alexandre Innanni Justus, explica como foi planejada essa reunião entre o movimento estudantil e os representantes do sindicato. “Nós convocamos o CEB na semana anterior, para estar articulando junto ao movimento grevista, porém, o conselho tem uma exigência estatutária que envolve a convocação da reunião 48 horas antes. Então a gente convocou na terça feira, na quarta-feira encerrou a greve e o CEB aconteceu na quinta-feira”. Nesse encontro, segundo Justus, foi deliberado um novo contato com o sindicato para o repasse de informações.

sintespo-2-28-9-12

 

    O clima de apoio entre estudantes e técnicos pela melhoria dauniversidade durante o debate ficou claro, segundo o diretor do sindicato. “Acredito que a grande maioria tem a intenção de apoiar, saio do debate com um pensamento muito positivo”.

Para José Eduardo Boffete, representante do Centro Acadêmico de Serviço Social, todos os movimentos estão interligados. “As vezes queremos separar coisas que são inseparáveis. Como foi apresentado durante a reunião, a comunidade universitária é formada por estudantes, técnicos e docentes. Então, tudo que é relacionado a uma categoria, acaba interferindo nas coisas”, aponta o acadêmico.

    O estudante Leonardo Godoy, representante do Diretório Acadêmico de Biologia, acredita que o apoio construído na reunião tem que ir para a rotina dos estudantes. “O CEB é um espaço de aproximação e para colocar as discussões em dia, mas a maior aproximação se dá no dia a dia do estudante, pois quem se coloca dentro do movimento estudantil, não pode atuar só durante o CEB”. Para ele, é durante o dia a dia que o estudante constrói uma relação com os servidores e com a própria universidade.

Arquivo comunitário:  Técnicos da uepg suspendem greve, mas cobram compromisso do governo