O encontro serve para mostrar as características da doença Leucemia. Outro ponto a ser discutido vai ser o processo para se tornar doador. "Muitas pessoas não sabem, ou acham que é preciso retirar uma quantidade da medula como se fosse o transplante.Temos que esclarecer que não é assim", explica a palestrante Josefa Schmidt (foto). Atualmente, há mais de 1 milhão e 300 mil pessoas cadastradas como doadoras no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redoma).

 

Acontece hoje uma palestra na Câmara Municipal de Ponta Grossa sobre a importância de se fazer cadastro para doação de medula óssea.

O encontro vai apresentar a doença Leucemia e suas características. Além disso, explica o método simples para que uma pessoa saiba como se tornar doadora.

A palestrante e coordenadora da ONG Você Consegue, Josefa Schmidt, explica que muitas pessoas acham que, para serem doadores, precisam fazer inúmeros exames, ou já fazer a extração da medula. Ela explica que basta colher uma pequena quantidade de sangue para ser armazenada no banco de dados. Depois disso, havendo compatibilidade com algum paciente, o transplante começará a ser discutido.

A palestrante reforça a iniciativa da reunião. “Temos que esclarecer o processo para as pessoas, para que elas se conscientizem e entrem na causa. Há muitas pessoas precisando de uma medula, e não há nada mais glorificante do que salvar uma vida”, considera.

Estima-se que para cada um milhão de doadores exista um compatível com um paciente de leucemia. O último levantamento do Instituto Nacional do Câncer (INCA) aponta 1 milhão 369 mil e 754 doadores. Número que mostra um grande crescimento desde 2001, ano em que se registravam apenas 12.550 doadores no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redoma).

Porém a palestrante ressalta a necessidade de se conseguir mais doadores. “Há muitas pessoas precisando de transplantes e, mesmo mesmo sendo um número significativo, os mais de 1 milhão de doadores são relativamente pouco. Temos que continuar a conscientização e mobilização para aumentar ainda mais o número de doadores”, finaliza.

A palestra sobre a importância da doação de medula óssea acontece hoje na Câmara Municipal de Ponta Grossa às 15h.

Para mais informações sobre a doação de medula óssea,clique aqui

Acontece hoje uma palestra na Câmara Municipal de Ponta Grossa sobre a importância de se fazer cadastro para doação de medula óssea.

O encontro vai apresentar a doença Leucemia e suas características. Além disso, explica o método simples para que uma pessoa saiba como se tornar doadora.

A palestrante e coordenadora da ONG Você Consegue, Josefa Schmidt, explica que muitas pessoas acham que, para serem doadores, precisam fazer inúmeros exames, ou já fazer a extração da medula. Ela explica que basta colher uma pequena quantidade de sangue para ser armazenada no banco de dados. Depois disso, havendo compatibilidade com algum paciente, o transplante começará a ser discutido.

A palestrante reforça a iniciativa da reunião. “Temos que esclarecer o processo para as pessoas, para que elas se conscientizem e entrem na causa. Há muitas pessoas precisando de uma medula, e não há nada mais glorificante do que salvar uma vida”, considera.

Estima-se que para cada um milhão de doadores exista um compatível com um paciente de leucemia. O último levantamento do Instituto Nacional do Câncer (INCA) aponta 1 milhão 369 mil e 754 doadores. Número que mostra um grande crescimento desde 2001, ano em que se registravam apenas 12.550 doadores no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redoma).

Porém a palestrante ressalta a necessidade de se conseguir mais doadores. “Há muitas pessoas precisando de transplantes e, mesmo mesmo sendo um número significativo, os mais de 1 milhão de doadores são relativamente pouco. Temos que continuar a conscientização e mobilização para aumentar ainda mais o número de doadores”, finaliza.

A palestra sobre a importância da doação de medula óssea acontece hoje na Câmara Municipal de Ponta Grossa às 15h.

Para mais informações sobre a doação de medula óssea, clique aqui

Por Emmanuel Fornazari, do blog www.einformacao.blogspot.com